Villaseñor Farías, Martha. Saber popular y autoatención en la lactancia materna. [Saber popular e autocuidado no aleitamento materno.] Em: Mercado Martínez, Francisco; Robles Silva, Leticia (comp.). Investigación cualitativa en salud. Perspectiva desde el occidente de México. [Pesquisa qualitativa em saúde. Perspectiva do ocidente do México.] Guadalajara: Universidad de Guadalajara; 1999. p. 33 – 71.

Objetivos: Conhecer o saber popular e o autocuidado frente ao aleitamento materno em um contexto urbano pobre da cidade de Guadalajara, México

Metodologia: Qualitativa. Foram utilizados métodos etnográficos e participativos.

Resultados: O capitulo detalha a metodologia, define com precisão os conceitos usados, as técnicas individuais e em grupos e os procedimentos analíticos.

Estudou-se a representação sobre saúde do grupo de mulheres, que participou da pesquisa, a partir da visão individual e da coletiva. A saúde foi por este grupo com “poder ser”, “poder fazer” e “sentir-se bem”. Em relação ao aleitamento significa poder ser mulher-mãe, poder lactar, que a criança possa mamar e que ambos, mãe e filho possam estar se sentindo bem. Para ter uma boa saúde foi dada mais importância aos fatores econômicos e a organização social do que a outros aspectos.

Em relação ao aleitamento as mulheres apresentaram as contradições de uma imagem idealizada do aleitamento versus as situações reais. Estas situações incluem mal estar físico, problemas em relação ao trabalho ou quanto a atenção do resto da família. As mulheres expressaram que existe uma pressão social (familiar e do sistema de saúde) para assumirem o aleitamento materno, que as fazem se sentirem questionadas quando não querem adotá-lo. Se as experiências anteriores não foram boas não encontram respostas que as ajudem na superação das dificuldades, mas somente perguntas do por quê não querem amamentar.

A autora analisa diferentes aspectos do aleitamento materno e o autocuidado, da perspectiva da literatura cientifica e dos resultados obtidos no estudo com o grupo de mulheres que participou da pesquisa. Entre estes aspectos estão os relacionados com a saúde e o bem estar da mãe (problemas físicos), os da criança, tempo que deve durar o aleitamento, cuidados que se deve ter para amamentar, pós-parto,relações sexuais e o desmame.

Conclusões: O capítulo não só é uma importante consideração ao tema principal, saber popular e autocuidado no aleitamento materno, mas pode ser usado como material didático na formação de pesquisadores interessados no desenvolvimento de pesquisas qualitativas. As pesquisas sobre o aleitamento materno devem retomar os processos psico-sociais e emotivos, tanto da mãe como do filho. A responsabilidade da estrutura sanitária deveria ser de promover, criar e facilitar a informação para que as mulheres pudessem escolher livremente a forma de alimentar seus filhos e apoiá-las em sua decisão. Para a saúde pública é importante conhecer e levar em consideração o saber popular e o autocuidado, como elementos inerentes e inseparáveis de todo o sistema de atenção à saúde.

Copyright 2007 University of New Mexico