Fidelis de Almeida P.; Escorel S. Da avaliação em saúde à avaliação em saúde mental: gênese, aproximações teóricas e questões atuais. Saúde em Debate 2001 maio-agosto; 25(58)35-47.

Objetivos: Analisar as definições de avaliação aplicadas aos serviços de saúde mental e as metodologias propostas.

Metodologia: Revisão bibliográfica e crítica.

Resultados: As autoras analisam que a avaliação tem passado por diversas etapas e que atualmente deve ser caracterizada como um processo de negociação entre o avaliado e o avaliador, com propostas de caráter participativo e inclusivo. A avaliação permite uma nova abordagem dos processos em curso, para corrigir ou evitar eventuais erros e estabelecer estratégias de melhora da qualidade da assistência oferecida. Descrevem diferentes tipos de avaliação e analisam os problemas referentes a orientação ideológica do avaliador e o contexto político-ideológico em que se insere o programa do serviço avaliado.

No artigo são descritas diferentes experiências latino-americanas de avaliação de instituições de saúde e se estuda propostas inovadoras de avaliação em saúde mental. Estas propostas procuram acompanhar as transformações realizadas pela Reforma Psiquiátrica Brasileira e facilitar sua avaliação. As autoras mostram os avanços e obstáculos teóricos, metodológicos e éticos que a avaliação na saúde mental apresenta. As metodologias de avaliação somadas à pluralidade metodológica permitem superar as dificuldades da avaliação das formas inovadoras de atenção, as pessoas com problemas mentais, que estão se desenvolvendo no Brasil, já que englobam o conjunto dos atores que participam do processo (profissionais, técnicos, familiares, usuários e gestores).

Conclusões: O artigo apresenta os avanços e os desafios a serem resolvidos pelas formas mais inovadoras de avaliação na saúde de modo geral e na saúde mental em particular.

Copyright 2007 University of New Mexico