Troncoso, María C. Mortalidad infantil: revisando un indicador de salud [Mortalidade infantil: revendo um indicador de saúde.] Em: Nunes, Everardo D. (Editor ). Ciencias sociales y salud en la América Latina. Tendencias y perspectivas. [Ciências sociais e saúde na América latina. Tendências e perspectivas.] Montevideo: OPS/CIESU; 1986. p. 289-303.

Objetivo: Analisar as tendências da pesquisa sobre a mortalidade infantil na América Latina

Metodologia: Descritiva.

Resultados: A autora destaca que a partir dos anos sessenta se observa, no campo da demografia, uma ruptura dos esquemas teórico-metodológicos centrados na quantificação dos dados e há um crescimento na importância da relação entre população e desenvolvimento. Os estilos de desenvolvimento se transformaram nas variáveis explicativas fundamentais do comportamento reprodutivo e os padrões da mortalidade infantil.

O trabalho mais importante realizado em vários países da região foi a Pesquisa Interamericana da Mortalidade na Infância que abordou com maior profundidade o estudo das causas de morte infantil. Um dos estudos de maior destaque neste tema é o do Dr. Hugo Behm apresentado na reunião da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1979. Este estudo é um marco conceitual para as análises histórico-estruturais, utiliza informações de organismos internacionais sobre o desenvolvimento social e sobre a produção alimentícia e nutrição. Associa a mortalidade com variáveis de níveis de vida e recupera a categoria classes sociais para explicar as diferenças de mortalidade.

Dentro da epidemiologia diversos estudos sobre a mortalidade infantil utilizaram o paradigma ecológico multicausal, que considera o social como um "fator", porém no mesmo nível dos fatores biológicos. Este paradigma supervaloriza a estatística para explicar as determinações da mortalidade. Frente às fracas explicações deste caminho analítico destaca-se o enfoque histórico estrutural que enfatiza o estudo dos processos sociais como determinantes das condições biológicas.

Conclusões: A mortalidade infantil já foi abordada de diferentes perspectivas teóricas e metodológicas na América Latina. A autora ressalta que, apesar dos avanços realizados na introdução de variáveis explicativas que partem dos processos sociais, ainda se mantêm problemas metodológicos que impedem o aprofundamento nas causas do fenômeno.

Copyright 2007 University of New Mexico